TEMPERAMENTO E COMPORTAMENTO

 

Pugs são essencialmente cães de companhia e para isso foram desenvolvidos. São pequenos, adoram os confortos de um lar, são doidos por um colinho, são limpos e precisam muito da companhia dos seres humanos.

Pugs não trabalham como cães farejadores, a não ser para encontrar farelos de biscoito. Eles não caçam, com exceção do próprio prato de comida. Eles apenas pegam coisas quando realmente querem e, para não perder a coerência, são eles que decidem quando vão entregar, ou não, este objeto para você. Mas muitas vezes eles são treinados com sucesso para trabalhar como cães de terapia (vão visitar criança e outras pessoas que estejam internadas em hospitais, levando conforto e amor incondicional. Em troca eles se deixam ser acariciados, apertados, beijados), e também no auxílio de pessoas com deficiência auditiva, alertando seus donos/parceiros de sons específicos, como o soar do telefone ou da campainha da porta.

Diferente da grande maioria das raças pequenas, Pugs demoram bastante para amadurecer (só deixam a infância por volta dos 2 anos de idade – prepare-se com uma dose extra de paciência e bom humor), mas em compensação estão longe de ser aquelas criaturinhas nervosas e reativas em excesso. Quando finalmente amadurecem, eles ficam tão bem adaptados a rotina da família que são praticamente “invisíveis”. Não costumam latir em demasia, e por isso são considerados bons cães de alarme, e eis mais uma característica marcante da raça. Seu latido é rouco e curto.

Se você está procurando um pequeno grande amigo, inteligente, cheio de personalidade e meio cabeça-dura. Se você não gosta de cachorros que soltam “gritinhos” quando aparece alguém na porta, mas que late como um cachorro grandão e ainda assim não chega a incomodar os vizinhos, pois além de não latir incessantemente, nem atoa, o latido é do tipo abafado. Se você está louco para ter um cachorro super carinhoso e paciente, especialmente com crianças e pessoas idosas. Se você não se importa de gastar um tempinho extra treinando seu amigo, então não pense duas vezes. O Pug é o cachorro ideal para você.

Pugs gostam muito de brincar e, embora possuam grande senso de dignidade, estes pequenos não se importam de bancar o palhaço se isto for alegrar seus donos.

 

SUA APARÊNCIA

 

Corpo compacto, pelagem fina, macia, curta e brilhante

 

SUA ORIGEM

 

A origem do Pug é bastante controversa, mas de maneira geral, aceita-se que tenha origem oriental. Muitos historiadores afirmam categoricamente que o PUG teve sua origem na China, onde se encontram representações de cães similares a eles por volta de 1700 AC. Mas foi com as grandes navegações no século XVI que eles chegaram à Europa, levados primeiramente pelos holandeses e posteriormente pelos ingleses, que foram os responsáveis pela definição do padrão atual da raça e pela seleção dos exemplares para atingir o padrão.

Uma das muitas lendas envolvendo os Pugs conta que os Pugs eram a ‘pedra no sapato’ de Napoleão Bonaparte. Isso porque sua esposa, Josefina, tinha um Pug de quem não se separava nunca e ele, por sua vez, não simpatizava nem um pouco com o imperador, a quem impediu mais de uma vez de entrar no quarto de sua dona.

Além de presença constante na corte de Napoleão, os Pugs eram adotados pelos nobres de vários países como símbolo de riqueza e ostentação. Era encontrado frequentemente nos colos das nobres na Itália, França, Espanha e Alemanha.

Outra curiosidade envolvendo a raça é a profusão de nomes adotados nos diferentes países. Na Alemanha, eram chamados de Mops, que significa “de aspecto franzido”. Já na França era conhecido como Carlin, devido ao seu tipo físico exótico e que lembrava o nome de um ator, célebre no papel de Arlequim, com o qual o rosto redondo, com mascara preta, revelava certa afinidade. Os italianos adotaram o nome Carlino enquanto os ingleses batizaram a raça como Pug ou “Pug-Dog”.

No Brasil a raça ainda é considerada rara, mas o crescimento de sua popularidade é constante. Entre os fãs famosos dos Pugs, estão o casal Jorge Amado e Zélia Gatai, que já estão no terceiro exemplar da raça. Mas talvez o maior impulso para torná-los mais conhecidos foi a cadelinha Ignés, na novela Por Amor, do autor Manoel Carlos.

PADRÃO OFICIAL:

 

APARÊNCIA GERAL
Quadrado e massudo, apresenta-se Multum in parvo (muita substância em pequeno volume), o que transparece em sua forma compacta.

TALHE: A altura e o comprimento não são comentados pelo padrão

PESO: Ideal 6,3 e 8,1 quilos.

PELAGEM: Fina, lisa, macia, curta e brilhante.

COR: Prateado, abricó, castanho, preto; em nítido contraste com a cor da faixa preta no dorso o mais escuro possível, que se estende do occipital à raiz da cauda, e é à máscara, no focinho, nas orelhas e bochechas e o diamante na testa.

CABEÇA: Grande, arredondada.

CRÂNIO: Sem sulco mediano.

STOP: Padrão, não comenta.

OLHOS: Muito grandes, de formato globular, escuros, brilhantes, expressão doce e alerta.

ORELHAS: Finas, pequenas, macias como veludo. Há dois tipos: - Orelha em rosa, pequena, caída, dobrada para trás, exibindo a face interna. - Orelha em botão, caída para frente, com a ponta pousando junto ao crânio, abotoando o pavilhão auditivo e apontando para os olhos. Dá-se preferência a orelha botão.

FOCINHO: Curto, rombudo, quadrado, sem ser projetado para cima, com rugas claramente definidas.

TRUFA: Preta.

LÁBIOS: Padrão, não comenta.

MORDEDURA: Ligeiramente prognata inferior. O maxilar inferior largo; incisivos inferiores, praticamente em linha reta.

TRONCO: Curto e compacto. Linha superior reta e de nível.

PESCOÇO: Forte, grosso, levemente arqueado, bom comprimento.

DORSO: Curto e compacto.

LOMBO: Curto e forte.

COSTELAS: Bem arqueadas.

PEITO: Largo.

MEMBROS: Ombros bem inclinados.

ANTERIORES: Muito fortes, retos, de comprimento moderado e bem ajustadas ao corpo.

POSTERIORES: Muito fortes, de comprimento moderado, joelhos bem angulados e bem ajustados ao corpo. Visto por trás, retos e paralelos.

PATAS: Ovais, com dedos separados, unhas pretas.

CAUDA: Inserção alta, enrolada em espiral, o mais apertado possível, pousada sobre a anca, duplamente enrolada é altamente desejável.

MOVIMENTAÇÃO: Os membros movem-se nos planos paralelos, dos ombros e corretamente direcionados para a frente. Usa os membros anteriores com decisão, com bom alcance à frente e os posteriores movendo-se livremente fazendo pleno uso da articulação do joelho. Um leve roll nos posteriores é típico na movimentação.

FALTAS: Avaliadas conforme a gravidade.

FALTAS GRAVES: Desvio lateral do maxilar, dentes ou língua aparentes, com a boca fechada, são defeitos muito graves.

NOTA: Os machos devem apresentar os dois testículos, visivelmente normais, bem acomodados na bolsa escrotal.

Veterinário Responsável
DR LEANDRO HENRIQUE OLIVEIRA
CRVM 15276